21 de Junho de 2011

 

Imperialismo sem máscara

 

A intensa e constante operação de desinformação e deturpação que acompanhou a fase de preparação e o inicio da agressão dos EUA e da NATO à Líbia decretou, agora, o total silenciamento das brutais consequências dos bombardeamentos e do bloqueio económico que foram impostos a este país.

Ocultando os mortos e feridos, a destruição de infra-estruturas e a privação das mais elementares condições de sobrevivência a milhões de homens, mulheres e crianças pelos quais são responsáveis, os EUA e a NATO pretendem continuar a escamotear os reais objectivos da escalada de guerra que impuseram ao povo líbio.

Como demonstra a realidade que tanto se esforçam por esconder, o que move os EUA e a NATO não é a falsamente proclamada «protecção dos civis», mas precisamente o seu contrário, isto é, a imposição do seu domínio militar, político e económico através da mais brutal destruição e desprezo dos direitos do povo líbio.

 

 

 

Fonte: Jornal "Avante!"

publicado por subterraneodaliberdade às 13:54

 

Tempos de guerra

 

A brutal ofensiva ideológica a que o povo português está sujeito está a atingir limites que, seguramente, qualquer um de nós dificilmente poderia imaginar.

Tendo com objectivo central veicular a ideia de que não há alternativa ao rumo das últimas três décadas, anda para aí toda a corte de espertos e peritos em tudo e em coisa nenhuma, qual picaretas falantes (a expressão não é minha, mas é tão apropriada que não resisto), pegando na teoria dos mais variados e criativos ângulos, para chegarem todos à mesma conclusão.

 

 

 

Fonte: Jornal "Avante!"

publicado por subterraneodaliberdade às 13:54
20 de Junho de 2011

 

AS MENTIRAS E AS INCÓGNITAS NA MORTE DE BIN LADEN

 

Os homens que executaram Bin Laden não agiram por sua conta: cumpriam ordens do governo dos Estados Unidos. Tinham sido rigorosamente selecionados e treinados para missões especiais. Sabe-se que o Presidente dos Estados Unidos pode, inclusive, comunicar-se com um soldado em combate.

Horas depois de realizar a ação na cidade paquistanesa de Abbottabad, sede da mais prestigiosa academia militar desse país e importantes unidades de combate, a Casa Branca ofereceu à opinião mundial uma versão cuidadosamente elaborada sobre a morte do chefe de Al-Qaeda, Osama Bin Laden.

Como é lógico, a atenção do mundo e da imprensa internacional se focaram no tema, deslocando as outras notícias do âmbito público.

As cadeias de televisão norte-americanas divulgaram o discurso esmeradamente elaborado do Presidente, e mostraram imagens da reação pública.

Era óbvio que o mundo se apercebia da delicadeza do assunto, visto que o Paquistão é um país de 171 milhões 841 mil habitantes -[onde os Estados Unidos e a NATO levam a cabo uma devastadora guerra que dura já dez anos]- possuidor de armamento nuclear e tradicional aliado dos Estados Unidos.

Sem dúvidas, o país muçulmano não pode concordar com a sangrenta guerra que os Estados Unidos e seus aliados realizam contra o Afeganistão, outro país muçulmano com o qual partilha a complicada e montanhosa fronteira traçada pelo império colonial inglês, onde tribos comuns moram a ambos os lados da linha divisória.

A própria imprensa dos Estados Unidos compreendeu que o Presidente ocultava quase tudo.

As agências de notícias ocidentais: ANSA, AFP, AP, Reuters e EFE, a imprensa escrita e importantes sítios Web refletem interessantes informações sobre o fato. 

 

 

Fonte: Portal Cuba

publicado por subterraneodaliberdade às 23:14

 

El Tribunal Correccional de París ya ha fijado fecha (entre el 5 y el 23 de septiembre) para el juicio contra el expresidente Jacques Chirac por presunta corrupción.

El Tribunal se reunió este lunes para fijar las fechas en las que se celebrará ese juicio, en el que el ex jefe de Estado está acusado de un presunto delito de financiación irregular de partidos a través de la contratación ficticia de personas cuando era alcalde de París.

Inicialmente previsto para el pasado marzo, el proceso se suspendió al día siguiente de su apertura, después de que los abogados de algunos de los acusados presentaran un recurso de constitucionalidad ante el Supremo.

 

 

 

Fonte: CubaDebate

publicado por subterraneodaliberdade às 23:08

 

La literatura sociopolítica, artística e historiográfica es prolífera en el uso de términos y conceptos relativos a las clases sociales. Sin embargo, los estudios sobre tan neurálgico asunto son escasos pese a su trascendencia en el conocimiento de una sociedad contemporánea o histórica determinada. Para el caso concreto de Cuba, las propuestas de María del Carmen Barcia, Gloria García, Ramiro Guerra, Julio Le Riverend, Raúl Cepero Bonilla, Blas Roca y Jorge Ibarra Cuesta, entre otros, deben ser profundizadas por nuevas empresas epistemológicas. Para ello existe un valioso caudal de fuentes, técnicas, métodos y teorías, aunque aún resulten insuficientes los recursos tecnológicos disponibles para el procesamiento informativo y la comunicación con el mundo académico externo.

 

Fonte: Cubarte

publicado por subterraneodaliberdade às 23:01

 

Maria de Lurdes Rodrigues acaba de ser acusada pelo DIAP de Lisboa do crime de prevaricação, por ter contratado ilicitamente João Pedroso – investigador universitário e irmão do ex-dirigente do PS, Paulo Pedroso – para consultor jurídico do Ministério da educação, entre 2005 e 2007.

Em causa estão contratos no valor global de mais de 300 mil euros feitos pelo gabinete da ex-ministra, por ajuste directo, com o objectivo de João Pedroso elaborar trabalhos de investigação para o Ministério da Educação.

 

  

Fonte: Sol

publicado por subterraneodaliberdade às 19:08

 

Politólogos

 

À corte de analistas e comentadores que se apressaram a desvalorizar o resultado eleitoral da CDU juntam-se, agora, os politólogos de serviço.

Páginas da mesma cartilha que os molda, sempre se dirá que destes - os que ostentando designação mais cientifica, grau de mestrado e uma pitada académica indispensável à credibilização do que escrevem – se esperaria mais em rigor e seriedade de análise do que daqueles outros que escrevendo a metro e a mando ainda não pegaram na caneta e já se sabe para que lado corre a tinta.

 

  

Fonte: Jornal "Avante!"

publicado por subterraneodaliberdade às 13:57

A escolha certa
 

Ao cognome de pai da política de direita, Mário Soares junta um rol infindável de epítetos da mesma família.

E o facto de, sendo ele o maior inimigo da democracia de Abril, lograr fazer-se passar por «pai da democracia», faz com que lhe assente como uma luva o título de rei dos embusteiros.

Curiosamente, à medida que a idade lhe vai pesando – e à semelhança do criminoso que volta ao local do crime para apreciar a obra feita -  ele desdobra-se em revelações sobre as suas actividades ocultas, desnudando-se e expondo as vergonhas, das quais, babado, se orgulha.

 

  

Fonte: Jornal "Avante!"

publicado por subterraneodaliberdade às 13:57
19 de Junho de 2011

 

Salazar introduz em Portugal o método dos reféns

 

Introduzindo em Portugal o sistema hitelariano dos reféns, utilizado pelos bandidos alemães nos países ocupados, o governo fascista de Salazar, mandou prender a esposa de Joaquim Soeiro Pereira Gomes, empregado superior da fábrica de Cimento Tejo, de Alhandra, e autor do belo livro "Esteiros", e anunciou na imprensa que não a porá em liberdade enquanto o marido não se apresentar à prisão ou não for preso, acusado de ter participado na greve de 8 de Maio.

Com estas medidas de vingança, o governo de Salazar não conseguirá intimidar os combatentes anti-fascistas, e não terá que queixar-se, se o povo, farto de sofrer, começar a responder aos fascistas olho por olho e dente por dente.

Portugueses honrados! Intelectuais! Católicos! Mulheres de coração!

Exigi a libertação da esposa de Soeiro Pereira Gomes presa como refém pelo governo fascista. Comunicai aos representantes das Nações Unidas o processo terrorista do governo de Salazar.

 

Fonte: Jornal "Avante!" de Maio de 1944

publicado por subterraneodaliberdade às 10:59

 

Tempos difíceis, Tempos de Luta

 

Os discursos do Presidente da República e de António Barreto, no 10 de Junho, constituíram dois indecorosos exercícios de uma hipocrisia só possível vinda de quem possui muita tarimba na matéria.

O apelo de Cavaco Silva para o regresso aos campos – feito por quem foi carrasco e coveiro da agricultura portuguesa nos dez anos em que foi primeiro-ministro – só é explicável à luz de um profundo desrespeito pela inteligência e a sensibilidade dos portugueses.

Do mesmo modo, a referência aos supostos «riscos incalculáveis» que correríamos se o programa da troika ocupante não fosse cumprido pela troika colaboracionista, não passa de uma tosca tentativa de procurar esconder dos portugueses que o cumprimento do programa da troika é que é, ele sim, um incalculável passo em frente no afundamento do País - pelo que rejeitá-lo constitui um dever patriótico.

O Presidente da República diz o que lhe vai na alma quando clama que «é Portugal inteiro que tem de se erguer nesta hora decisiva» e que isso implica «inevitáveis sacrifícios» - já que, com isso, o que quer dizer é que os sacrifícios, como sempre, são para os trabalhadores e o povo, ficando os lucros, como sempre, para o grande capital.

De Barreto, bastaria dizer que o seu nome ficará para sempre ligado àquele que foi o momento mais sombrio vivido depois do 25 de Abril: a destruição da Reforma Agrária, com a brutal repressão, os assassinatos, afrontando a Constituição da República Portuguesa – a Constituição que Barreto, no seu ódio visceral a tudo quanto cheire a Abril, quer agora liquidar.

Sublinhe-se que a crítica de Barreto aos políticos assenta como uma luva tanto em quem a faz como em quem convidou o falante.

De resto, tratou-se de um discurso velho, bacoco, pateta – mas profundamente reaccionário - que atinge a suprema agonia quando a ridícula criatura decide passar a tratar Portugal por tu...

Enfim, falaram, ambos, como políticos da política direita que, de facto, são. Com responsabilidades diferentes, mas em ambos os casos grandes, enormes, no estado a que Portugal chegou.

  

 

Fonte: Jornal "Avante!"

publicado por subterraneodaliberdade às 10:57
18 de Junho de 2011

 

Nas vésperas da abertura da Assembleia da Republica o PCP cumpre o compromisso de apresentação de um projecto de resolução de renegociação da dívida pública. Uma iniciativa que, recusando o rumo de desastre que querem impor ao país, aponta um caminho alternativo de crescimento económico, progresso e justiça social.

Confrontado com a forte ofensiva especulativa em torno da dívida pública portuguesa, com o processo de extorsão de recursos nacionais, com uma dramática situação social e económica, com o garrote imposto pelo conjunto de credores e com uma política de submissão do país aos seus interesses, o PCP, a 5 de Abril de 2011 avançou com a proposta de se iniciar um processo de imediata renegociação da dívida pública. Um processo que articulado com um conjunto de outras medidas em defesa dos interesses nacionais, constituía uma resposta patriótica e de esquerda ao rumo de desastre nacional que estava a ser imposto.

Recusando esta saída para os problemas da dívida pública e do financiamento do país, PS, PSD e CDS optaram pela persistência na defesa dos interesses dos grupos económicos e financeiros, abrindo as portas a uma intervenção externa do FMI, do BCE e da UE que, pelo seu processo e conteúdo, constitui um programa ilegítimo de submissão e agressão ao povo e ao país que o novo Governo PSD/CDS se prepara para aplicar.

Mais de dois meses decorridos, a exigência da renegociação imediata da dívida pública portuguesa, seja pelas condições em que o país se encontra, seja pelas consequências que a aplicação do programa da Troika comporta para o povo e para o país (incluindo na capacidade de Portugal fazer face aos seus compromissos externos e necessidades de financiamento), ganhou redobrada actualidade e apoios de diversos quadrantes. Neste sentido, o PCP, dando seguimento ao compromisso assumido com o povo português no decorrer da campanha eleitoral, apresenta formalmente na Assembleia da República uma proposta de renegociação da dívida pública articulada com outras medidas visando o crescimento económico, a criação de emprego, a defesa dos interesses e da soberania nacional.

 

 

Fonte: PCP

publicado por subterraneodaliberdade às 12:52
tags:

 

Face ao anúncio da composição do governo apresentada hoje pelo Primeiro-ministro ao Presidente da República e à divulgação pública do “Acordo Político” entre o PSD e o CDS-PP, o PCP considera o seguinte:

 

1- A gravidade da situação que o país enfrenta e a perspectiva do seu agravamento, reclama não a continuidade da política de desastre nacional concretizada pelo anterior Governo PS, mas a sua substituição por uma outra política, patriótica e de esquerda, que responda aos problemas dos trabalhadores, do povo e do país. Não é essa contudo a intenção do novo governo que, identificando-se com os interesses dos grupos económicos e financeiros, se prepara para levar por diante, embrulhadas em palavras ocas de preocupação social, o programa de submissão e agressão externa que PSD, PS, e CDS assumiram com a UE, o BCE e o FMI.

 

 


Fonte: PCP

publicado por subterraneodaliberdade às 12:42
tags:

 

Nº1 de O Comunista e de O Jovem Comunista

 

Em fins de 1921, numa reunião conjunta do Partido e da Juventude, é decidida a ciração dos primeiros órgãos de informação comunistas:  o jornal O Comunista, órgão do Partido Comunista Português, e O Jovem Comunista, órgão nacional das Juventudes Comunistas Portuguesas, que iniciam a sua publicação ainda no decorrer desse ano de 1921. Os dois jornais dão um contributo importante na batalha que o Partido trava no sentido da mobilização da classe operária para, em torno de um objectivo político consequentemente revolucionário - e dando combate aos efeitos negativos do oportunismo anarco-sindicalismo que domina o movimento operário português -, assumir o seu papel de vanguarda na luta contra a política praticada pelos sucessivos governos que, dominados pelos partidos da burguesia e outras forças reaccionárias, desenvolvem uma repressão brutal sobre os trabalhadores.

 

 

Estes momentos da história do PCP são também momentos inseparáveis da luta dos trabalhadores e do Povo Português (...).

 

 

Fonte: 85 Momentos de vida e luta do PCP - Edições Avante!

publicado por subterraneodaliberdade às 12:25
16 de Junho de 2011

 
publicado por subterraneodaliberdade às 21:09
tags:

 

CUBA, 19 de mayo de 2011.-Renato García, presidente del Consejo Regional para América Latina de Ingeniería Biomédica, afirmó hoy que Cuba exhibe importantes resultados en el empleo de la tecnología para beneficio de la salud de la población.

 

El experto brasileño, quien participa en el V Congreso Latinoamericano de Ingeniería Biomédica, con sede en el Palacio de Convenciones de La Habana, explicó que la Isla en referente y sus experiencias en ese campo pueden extenderse a otras naciones.

 

A pesar del bloqueo que le impone EE.UU. a Cuba, el cual limita o impide el acceso a tecnologías de avanzada, sobresalen la dedicación, el esfuerzo y la capacidad que poseen los recursos humanos en la Ínsula, significó el especialista.

 

Es realmente impresionante el sistema sanitario y la cobertura que ofrecen, no sólo al pueblo cubano, sino también a otros de América Latina y demás regiones del mundo, remarcó..

 

Se mostró optimista por la realización del congreso, que reúne hasta mañana a 550 delegados de más de 30 países y permitirá potenciar los resultados, con el fin de mejorar el uso de tecnologías en el área médica en beneficio de la salud de las poblaciones.

 

El Consejo Regional para América Latina de Ingeniería Biomédica está representado por unos 15 países, entre ellos Argentina, Brasil, Cuba, México, Colombia, Costa Rica, Chile y Uruguay.

 

García resaltó que un proyecto conjunto entre Brasil y la Mayor de las Antillas, ha permitido conocer el trabajo y esfuerzo de los cubanos en el desarrollo de la bioingeniería.

 

Fonte: Cuba Vs Bloqueio

publicado por subterraneodaliberdade às 20:54

 

 

 

Vidas na Clandestinidade
Cristina Nogueira

 

«Procuramos neste livro caracterizar a clandestinidade comunista, enquanto contexto de vida e de luta, e descobrir as normas de conduta, regras, códigos éticos e morais, e até a linguagem particular que os clandestinos assumiam. Pretendemos assim equacionar a cultura própria que emana da clandestinidade comunista, caracterizando não tanto a organização partidária numa perspectiva macro-estrutural, mas lançando um olhar para o quotidiano da vida clandestina, usando como fonte privilegiada de informação as vozes daqueles que permaneceram clandestinos e que nos forneceram as suas narrativas biográficas.»

 

 

Excertos

 

"Eu quando passei à clandestinidade assumi o risco da clandestinidade, e com tudo aquilo que implicava essa assunção, podia ser preso, podia ser torturado, podia ser torturado até à morte, podia estar uma data de anos na cadeia, e portanto, isso era uma assunção que tínhamos, não por grande obreirismo ou por valentia, era uma questão de consciência. Nós tínhamos as qualidades que têm as pessoas normais, a coragem, a firmeza de carácter, etc., etc., tínhamos outra coisa mais que era a consciência que vem com a luta, mas de qualquer forma daqui não levavam nada, e portanto esta era a solução." (António Dias Lourenço)

 

"[Viver na clandestinidade] é a gente esquecer-se da família, no bom sentido. Não podia telefonar, não podia escrever, não podia nada, não podia ter encontros, não podia ter nada. Os meus irmãos, muitas vezes, os dois eram seguidos pela PIDE, quando saíam da terra por qualquer motivo, iam atrás deles, e eles percebiam, mas eles não iam ter comigo, nem nada. Só em casos muito, muito, muito excepcionais é que havia um encontro de um clandestino com um familiar. Casos muitos excepcionais. Por exemplo, morreu-me o meu pai e eu só soube uns 4 ou 5 meses depois, estava em Leça da Palmeira, quando o meu pai morreu em 59, princípios de 59, e os tipos aqui, quando foi o funeral do meu pai  veio uma brigada da PIDE de Lisboa e tudo, à espera que eu fosse lá, os tipos meteram na cabeça que eu podia ir ao funeral e eu nem sabia, quanto mais vir." (João Honrado)

 

publicado por subterraneodaliberdade às 14:00
tags:
15 de Junho de 2011

 

«Relatório» confirma a denúncia do PCP sobre o ataque ao direito à saúde

 

 

1 - A divulgação pública do Relatório da Primavera, elaborado pelo Observatório Português dos Sistemas de Saúde (OPSS), confirma o que há muito o PCP tem vindo a denunciar: a política de direita é responsável pela crescente inacessibilidade da maioria dos portugueses à saúde.

As listas de espera para consultas da especialidade e cirurgias têm sido o elemento mais visível e mediatizado da inacessibilidade do direito à saúde. Mas o problema do acesso não se limita às consultas da especialidade e às cirurgias. O mesmo se passa quanto ao acesso aos cuidado de saúde primários, ao medicamento e aos meios complementares de diagnóstico.

 

 

 

Fonte: PCP

 

publicado por subterraneodaliberdade às 23:07
tags:

Peruanos votaram acreditando na mudança
 

Mais de 7 milhões de peruanos elegeram, domingo, o líder do Partido «Ganha Peru», Ollanta Humala, para a presidência da República, expressando a vontade inequívoca de colocar o país ao lado dos processos progressistas na América Latina.

 

 

De acordo com os dados provisórios divulgados segunda-feira pela Oficina Nacional de Processos Eleitorais (ONPE), quando faltava apurar pouco mais de 10 por cento das assembleias de voto, o ex-militar recolhia 51,3 por cento do total dos boletins já escrutinados.

 

Confirma-se, assim, a derrota de Keiko Fujimori na segunda volta das presidenciais. A filha do ex-presidente do Peru garantia, ao final da tarde de segunda-feira, menos de 49 por cento dos boletins, correspondentes a cerca de 6 milhões e 800 mil votos.

 

Num sufrágio extremamente disputado, o número de abstencionistas cifrou-se em cerca de 14,5 por cento, num total de quase 20 milhões de cidadãos habilitados a votar. No Peru, a comparência às urnas é obrigatória.

 

 

 

 

 

Fonte: Jornal "Avante!"

publicado por subterraneodaliberdade às 21:53

MEXICO, 13 de junio de 2011.- Durante los días 9 y 10 de junio se celebró en esta ciudad el Seminario sobre Política Fiscal en Iberoamérica, convocado porla Secretaría General Iberoamericana (SEGIB), como parte de los preparativos dela XXI Cumbre Iberoamericana de Jefes de Estado y de Gobierno, que tendrá lugar en Paraguay, en el mes de octubre de este año.

 

El objetivo de este encuentro, fue reflexionar sobre la política fiscal en Iberoamérica, en medio de la situación económica regional y global, marco en el que los altos funcionarios responsables de esta importante materia en la región intercambiaron sobre el tema.

 

En representación de Cuba, participó Yolanda Álvarez Dela Torre, Jefa dela Oficina Nacionaldela Administración Tributaria, quien brindó durante su intervención información sobre las acciones que se realizan enla Isla, en este ámbito. Al referirse al tema, teniendo presente la repercusión de la crisis económica mundial, enfatizó el impacto negativo adicional que sufre la economía cubana, por la aplicación del bloqueo económico, comercial y financiero que impone EE.UU. a Cuba desde hace 5 décadas.

 

Al denunciar esta injusta política contra su país, insistió en que la misma se mantiene sin cambios, lo cual demostró con varios ejemplos recientes en los que al país le fue negada la adquisición de determinados productos, en particular, en el ámbito de la salud.

 

Fonte: Cuba Vs Bloqueio

publicado por subterraneodaliberdade às 21:43

 

Comunicado da DORB do PCP

 

A DORB do PCP reuniu a 9 de Junho de 2011 para analisar os resultados das eleições legislativas no Distrito, debater os desenvolvimentos da situação política decorrentes e avaliar diversos aspectos da situação política e social do distrito.

 

Eleições legislativas – um bom resultado da CDU

 

  1. Os resultados obtidos pela CDU, no distrito de Braga, nas eleições legislativas realizadas no passado domingo, revelaram uma importante afirmação de uma força que cresce consecutivamente desde 2002.

A reeleição do deputado Agostinho Lopes em 17º lugar, correspondendo a um aumento de 694 votos no distrito (de 23037 para 23731) e a 0,3 pontos percentuais (de 4,6 para 4,9) confirma o reconhecimento de um trabalho sem paralelo em defesa dos trabalhadores e do povo do Distrito.

 

  1. A DORB saúda todos os que intervieram nesta campanha eleitoral. Saúda todos os que concretizaram a acção “um milhão de contactos por uma política patriótica e de esquerda” que fez desta campanha eleitoral uma grande jornada de esclarecimento e diálogo com as populações do Minho. Campanha que permitiu contrariar silenciamentos e discriminações de uma parte da comunicação social, local e sobretudo nacional (pese embora excepções no plano regional), que assim prosseguiram a má cobertura da actividade parlamentar durante a legislatura.

 

  1. A DORB manifestou a sua satisfação pelo conjunto de iniciativas levadas a cabo nesta campanha eleitoral, das quais se destaca a realização do notável comício no Teatro Circo de Braga, já no encerramento da campanha. Perante a antidemocrática atitude do Governador Civil do Distrito de Braga e da Administração do Teatro Circo, a DORB sublinha que só a determinação e persistência na defesa do direito de propaganda política puderam vencer a arrogância e arbitrariedade daquelas entidades.

A DORB entende ser necessário saudar, uma vez mais, o empenho dos profissionais do Teatro que, apesar de só avisados pelo Administrador do TC às 16h daquele dia (apesar do pedido ter sido feito com um mês e meio de antecedência) contribuíram para o êxito daquela iniciativa.

Todos os que, dentro e fora do Teatro Circo, viveram o memorável comício da CDU, podem sentir o orgulho de ter devolvido aquela histórica sala de espectáculos à cidade e ao povo de Braga.

 

  1. A DORB sublinha a dimensão da derrota do PS, que perdeu as eleições no distrito, o que não acontecia desde 2002, tendo menos quase cinquenta mil votos desde as anteriores eleições. Este resultado negativo é a expressão concreta do descontentamento popular face às políticas de direita ruinosas que o PS levou a cabo nos últimos 6 anos e que arrastaram o distrito para o caminho da destruição do aparelho produtivo na indústria e na agricultura, do desemprego, da pobreza e mesmo da miséria.

 

  1. Os resultados da direita (PSD e CDS) embora não tenham alcançado os resultados que anunciaram e gostariam, cuja dimensão não é separável do protesto que se fazia sentir quanto à política do PS, num quadro em que estes partidos esconderam, ostensivamente, os seus reais programas e intenções durante toda a campanha.

O silêncio de chumbo sobre os verdadeiros conteúdos e consequências do acordo com a Troika estrangeira, bem como a afirmação de promessas e orientações que são contrárias àquilo que se comprometeram a implementar induziram muitos eleitores a um voto que, por esse facto, não é mais que a expressão um desejo de mudança.

 

  1. A DORB, saudando as mais de 23700 pessoas que confiaram o seu voto e o seu apoio na CDU, designadamente todos os que o fizeram pela primeira vez, garante-lhes o desenvolvimento da acção e da luta do PCP, na Assembleia da República e fora dela, sempre com as populações e os trabalhadores do distrito, de forma a assegurar a defesa dos seus direitos e interesses e a fazer ouvir a voz dos que não têm voz.

 

 


 

A DORB do PCP

Braga13/06/11

 

publicado por subterraneodaliberdade às 13:56
tags:
14 de Junho de 2011

 

 

  

NATO arrasta Portugal na deriva militarista

 

Uma reunião de alto nível da NATO acontece, com prometidas implicações para o nosso país, contudo as notícias são escassas e disfarçadamente procuram iludir as suas graves consequências. Os políticos e os órgãos de comunicação ao serviço dos partidos burgueses sabem e fazem como de costume. Falar muito acerca de nada, e dizem meia verdade acerca do que realmente importa.

Passado meio ano sobre a cimeira de Lisboa, no quadro de declaradamente mais ambiciosa e agressiva estratégia global, o conselho de ministros da NATO reuniu dias 8 e 9 de Junho na sede em Bruxelas para decidir sobre reformas na sua estrutura de comando.
A agenda daquele conselho de ministros testemunha a vocação imperial dessa “aliança”. Aí foram avaliadas as situações militares das guerras no Afeganistão, Iraque e Líbia, de que os EUA e seus aliados são promotores e parte; a situação na Coreia e o posicionamento assertivo da China no Mar da China e nas rotas marítimas do Oriente; as relações com a Rússia, a proliferação nuclear e a defesa balística anti-míssil na Europa (“a guerra das estrelas”).

A NATO procedeu a reforma da sua estrutura de comando estratégico e operacional, tendo em particular anunciado a decisão de transferir para Portugal o “comando operacional” da Força Marítima de Reacção Rápida ‘Strikfornato’, até agora sedeado em Nápoles. Este ‘comando operacional’ abarca a Sexta Esquadra dos Estados Unidos da América e forças navais de outros estados membros. O comando desta Força é assumido pelo próprio comandante da Sexta Esquadra, e reporta directamente com o Comandante Supremo das Forças Aliadas ‘SACEUR’ em Bruxelas.

 

 

Fonte: Odiario

 

publicado por subterraneodaliberdade às 22:29

 

 

No encontro hoje realizado com o Presidente da República, no âmbito da consulta aos partidos políticos no seguimento das últimas eleições legislativas, o PCP expressou a sua reiterada oposição ao programa de submissão e agressão que o Primeiro Ministro e o governo que tomará posse querem impor ao povo e ao país.

 

A delegação do PCP, composta pelo Secretário-geral do PCP Jerónimo de Sousa, Bernardino Soares e Luísa Araújo, membros da Comissão Política e do Secretariado do Comité Central do PCP respectivamente, reafirmou ainda, face à gravidade da situação do país, a necessidade de uma outra política que, em ruptura com o actual rumo de desastre, melhore as condições de vida da população, valorize os salários e os direitos dos trabalhadores, promova a renegociação da dívida pública, defenda a produção nacional, imponha uma mais justa distribuição da riqueza, defenda os serviços públicos, garanta a independência e a soberania nacionais.

O PCP expressou ainda a sua inquietação e preocupação face ao coro de vozes que identificam a Constituição da República Portuguesa como um obstáculo ao prosseguimento da ofensiva contra os trabalhadores, o povo e o país, exigindo-se do Presidente da República que respeite e faça respeitar a Constituição que jurou cumprir.

 

 

Fonte: PCP

 

publicado por subterraneodaliberdade às 22:17
tags:
13 de Junho de 2011

 

 

 

Faz-nos falta, mas a luta continua
 
Prematuramente regressado da China e do Vietname, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, comentou, terça-feira, na sede nacional do Partido, o falecimento do camarada Álvaro Cunhal. Transcrevemos na íntegra a sua intervenção, recebida com emoção pelos muitos comunistas presentes.
«Morreu o camarada Álvaro Cunhal. A sua morte física provoca-nos um profundo sentimento de dor e de perda.
«Os comunistas, os trabalhadores, o povo português, o movimento comunista e revolucionário perdem um grande homem, um obreiro da sua causa libertadora.
«O tempo de vida dum homem é sempre um tempo curto no processo histórico da sociedade humana. Assim aconteceu com o camarada Álvaro.
«No entanto ele teve o privilégio de viver num tempo e num século de grandes acontecimentos onde se verificaram avanços e conquistas fascinantes e trágicos recuos e derrotas.
«Viveu esse tempo não só observando e interpretando esses acontecimentos mas assumindo um papel de protagonista na luta pela liberdade do seu povo e pela democracia no seu país sem abdicar da sua visão e dimensão internacionalista.
«A prática política do colectivo partidário, de que foi obreiro e intérprete, aliada a uma profunda e invulgar assimilação do marxismo-leninismo na sua dupla dimensão de explicação e de transformação do mundo, fizeram de Álvaro Cunhal o pensador político de maior craveira do Portugal do século XX.
«A sua produção política teórica, de indiscutível mérito próprio, nunca foi por ele considerada como tal, quer na recolha de dados quer nas conclusões a que chegou.
«Na elaboração das suas obras, tanto políticas como literárias, sempre procurou saber e sempre soube acolher a opinião do mais humilde militante e a do mais credenciado especialista.
«No quadro do grande colectivo que desde sempre e para toda a vida abraçou, que a sua inteligência, coragem política, ideológica, moral e física ajudou a erguer, o camarada Álvaro Cunhal deu uma contribuição de alcance histórico à luta do povo português no derrube da ditadura fascista e o seu nome ficará para sempre ligado à Revolução Portuguesa do 25 de Abril.
«De convicções inabaláveis, posto à prova em condições brutais pelos esbirros do fascismo que o tentaram quebrar física, psicológica e intelectualmente, Álvaro Cunhal não só resistiu como voltou sempre disposto a combater.
«A sua determinação revolucionária, a firmeza na defesa dos princípios, a dureza de tantos combates não deixaram muitas vezes que se revelasse a sua dimensão humanista para com os mais fracos, os mais pobres e explorados e particularmente com as crianças para quem o seu afecto tocante, surpreendia na aparente contradição com a sua tenacidade e determinação.»

 

 

publicado por subterraneodaliberdade às 21:39
11 de Junho de 2011

 

 

 Fundação do PCP

 

A fundação do PCP ocorreu a 6 Março de 1921, em Lisboa, na sede da Associação dos Empregados de Escritório. Tendo como referências essenciais as lições das grandes lutas e vitórias da classe operária internacional e do desenvolvimento histórico do movimento operário português - e sob o impulso da criação do partido bolchevique, da Revolução de Outubro e dos ensinamentos da Marx, Engels e Lenine -, o PCP nasce num clima marcado por grandes lutas de classe, travadas pelos trabalhadores portugueses. No Manifesto em que faz a sua apresentação pública, o Partido, através da publicação dos 21 pontos da Internacional Comunista, afirma a sua adesão ao Movimento Comunista Internacional.

Logo a seguir é criada a organização das Juventudes Comunistas.

A primeira sede do Partido é na Rua do Arco do Marquês do Alegrete e, em pouco tempo, o números de filiados comunistas atinge o milhar.

O Partido define, como frente de acção prioritária dos seus militantes, a intervenção nas organizações sindicais com o objectivo de dar uma justa orientação à luta dos trabalhadores e visando a adesão do movimento sindical à Internacional Sindical Vermelha.

Com a fundação do PCP a classe operária portuguesa encontra a sua firme e segura vanguarda.

 

Estes momentos da história do PCP são também momentos inseparáveis da luta dos trabalhadores e do Povo Português (...).

 

 

Fonte: 85 Momentos da vida e luta do PCP - Edições Avante!

publicado por subterraneodaliberdade às 18:48
pesquisar neste blog
 
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
17
arquivos
Nota Subterrânea
Os artigos públicados da autoria de terceiros não significa que o subterrâneo concorde na integra. Significa que são merecedores de reflexão.
links
blogs SAPO